Blog de uma leitora crónica, obsessiva livresca e bibliomaníaca. Os livros que li e as minhas opiniões.

Perfil

//mais sobre mim

Arquivo

//pesquisar
 
//Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


//comentários recentes
Em que capítulo se encontra a citação da pág.72 ? ...
Muito obrigada pelos spoilers, senhor "leitor".Ain...
ola xana, você ainda tem esse livro?se tiver, quer...
http://numadeletra.com/36007.html
Adorei!:http://numadeletra.com/34202.html
Terminei este livro há dias e gostei muito.Sou uma...
Está um máximo! :D
Adorei a critica.
Fui lá espreitar agora. Gostei muito das citações ...
Boa tarde Rita, estou a reformular o meu blog sobr...
//arquivos
2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


//subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

Posts

Terça-feira, 01 de Maio de 2007

(Ano de edição: 2004)

O capitão Afonso Brandão mudou a vida, quase sem o saber, numa fria noite de boleto, ao prender o olhar numa bela francesa de olhos verdes e voz de mel. O oficial comandava uma companhia da Brigada do Minho e estava havia apenas dois meses nas trincheiras da Flandres quando, durante o período de descanso, decidiu ir pernoitar a um castelo perto de Armentiéres. Conheceu aí uma deslumbrante baronesa e entre elels nasceu uma atracção irresistível.

Mas o seu amor iria enfrentar um duro teste. O Alto Comando alemão, reunido em segredo em Mons, decidiu que chegara a hora de lançar a grande ofensiva para derrotar os aliados e ganhar a guerra e escolheu o vale do Lys como palco do ataque final. À sua espera, ignorando o terrível cataclismo prestes a desabar sobre si, encontrava-se o Corpo Expedicionário Português.

Decorrendo durante a odisseia trágica da participação portuguesa na primeira guerra mundial, A Filha do Capitão conta-nos a inesquecível aventura de um punhado de soldados nas trincheiras da Flandres e traz-nos uma paixão impossível entre um oficial português e uma bonita francesa. Mais do que uma simples história de amor, esta é uma comovente narrativa  sobre a amizade, mas também sobre a vida e sobre a morte, sobre Deus e a condição humana, a arte e a ciência, o acaso e o destino.

 [Texto extraído da contracapa]

Citações


(pág.9) "O pensameno mais fugaz obedece a um desenho invisível" - Jorge Luís Borges, 'O Aleph'

 

(pág.9) "O sentido do mundo emerge fora do mundo. No mundo, tudo é como é e acontece como acontece." - Ludwig Wittgenstein, 'Tractatus Logico-Philosophicus'

 

(pág.90) "Dez anos, meu filho, não é nada. Dez anos é um mero sopro na poeira do tempo."

 

(pág.90) "A sua preocupação era compreender a vida para a conquistar, não para que ela o esmagasse."

 

(pág.136) "Mata um homem por dinheiro e és um criminoso. Mata mil homens por uma ideia e és um grande génio."

 

(pág.311) "(...) Deus ajuda quem se ajuda a si próprio. Aqueles que não percebem isso não entendem nada da vida."

 

(pág.364) "(...) são as pessoas que fazem os lugares."

publicado por xana às 20:00